"Alma Minha"

Vitor Hugo P. Tricerri

 

 

 

 

Um dia te encontro Minha Cara Alma

Hoje um segredo, num tempo que vou passar

Noutra história que, mansa, começará mais calma

Tuas defesas... ...rendição... ...não vais me isolar

 

Assim, pedras, como troféus, num passado de pó

Solidão será, nas telas, pintada em tons pasteis

Incertezas, serão lembranças de um tempo só

E teu beijo comigo, então, unirá, no toque, aqueles anéis

 

Se hoje desenho somente a escrita dos meus desejos

Se a sílaba certa, ainda será no vento descoberta

Insistente, me livrarei das travas e tropeços

De uma vida, ela menina, que se mantém sempre alerta

 

Quando chegar, Alma Minha, tu serás nua e revelada

Desarmado, inocente, no verde, serei só revelação

Um castelo, assim, se erguerá de forma inesperada

Brindando, nesse alcance, a surpresa de um só coração

 

 

 

 

Vitor Hugo P. Tricerri 

 

28/02/2007