Olhar do infinito

 

 

 

Conheço o amor e a dor

Desconheço única verdade sobre ambos

A audácia do sofrimento que me cala

Só a virtude do momento que me afaga.

 

Olho para ti e me vejo num espelho

Fico atrás daquele mesmo desejo

De buscar-te, minha doce felicidade...

Arco-íris de paz e saudade.

 

Pranto aos cantos quando te vejo triste

É a impotência batendo em meu peito

Onde deixei as forças do alento?

 

Olhar do infinito, socorre-me sem demora!

Traz de volta o brilho dos olhos,

Do meu amor, que de dor, chora.

 

 

 

 

Tierle Maria P. Tricerri

21/02/08