Uma breve explanação sobre o

Paradoxo Norte Americano 

Marco Antonio P. Tricerri

 

 

 

Estados Unidos da América, país fundado sob o

signo da liberdade e tolerância, da separação entre poder

 clerical e poder secular, do respeito aos direitos civis e

 das oportunidades de sucesso,encarnados no famigerado

 

 sonho americano, é a maior potência econômica, militar e

 política do mundo. A América que segundo Metternich

tornou-se a Roma do mundo contemporâneo, ao mesmo

 tempo simboliza o que há de mais liberal e progressista

 

 no mundo atual, e o que há de mais retrógrado e conservador

 também, seu país exerce uma influência em escala planetária

jamais vista na história da humanidade por outra potência.

 O paradoxo que se instala no seio de seu país se difunde

 

 e inspira o mundo, gerando idiossincrasias que vão do  ódio

 extremado pela América e a sua mais profunda  admiração.

 Atualmente no país, o ensino do criacionismo nas escolas,

 da proliferação de seitas cristãs, a abstinência  sexual

 

 pregada pelo governo e o conseqüente aumento  dos casos

 de HIV, o gosto por armas e por guerras convivem  lado

 a lado com posturas liberais diametralmente opostas a estas.

 A ignorância convive com o que há de mais  avançado na

 

terra, avanço esse, legado pelo iluminismo  pragmático

 dos EUA que superou o iluminismo europeu dando frutos

 em termos científicos, e que possibilitou sua supremacia

 tecnológica no mundo. O convívio entre estas duas

 

 mentalidades gera uma potencial mistura  explosiva, dando

 muito poder e, ao mesmo tempo, pouco  preparo para

 manejá-lo,  o que, num futuro próximo, pode  causar uma

 explosão ou, talvez, uma implosão no seu país.

 

 

 

 

 

 

 

Marco Antonio P. Tricerri

29/03/08