UMA PEQUENINA LEMBRANÇA
PARA A MINHA QUERIDA
ZILCA - PELO TRANSCURSO
DO NOSSO
42º ANIVERSÁRIO
DE CASAMENTO
13.MAIO.2003
FERNANDO.

Pluma no Salão

Não era o vento a soprar...
Era simplesmente um tango a tocar...
E tu, pluma leve, a girar, a girar...

Quanta saudade companheira...
Marcas de uma vida inteira...

Não éramos nós flutuando...
 Era o salão rodopiando...
E bem lá no centro, juntinhos...
Dançávamos a música entre carinhos...

Quiséramos que o tempo parasse...
E que o relógio jamais marcasse...
O ter sempre de seguir...

Quantos sonhos para o nosso porvir...
 Cristalizados na pista da saudade...

E tu, pluma, amor de verdade...
Indo e vindo entre as notas da melodia...
Ainda é o meu grande sonho de um dia!...

 
Fernando José Tricerri