Meu Sol Poema
Fernando José Tricerri


És um ponto central,
E, ao teu redor, outro ponto gravita,
Circunscrevendo inevitável elipse dourada...

És tu quem atrai, comanda e engrenas
Um movimento constante, sincronizado;
Um vem e vai, dispares momentos, quatro tempos:
Dois elipsoidais próximos, dois outros distantes...

És tu quem ilumina,
O dia efêmero, o dia imortal;
Obrando rastros de um tudo e um nada...

És um tema da natureza, astro lenda que agita,
Uma labareda, que apaga ao sabor dos ventos...
Uma sombra fria, corpo inerte imaterializado;
Duas situações centrais, duas outras extremas...

És tu quem aquece,
É, em teu calor elíptico, o amor adormece,
No poema de um sonho geométrico
que jamais termina...


Fernando José Tricerri